Início

17/12/2007

arte e propaganda

"Há uma enorme diferença entre propaganda e arte.
há algo em relação à arte que diz, ‘olha, eu estou falando a
verdade como eu a vejo… e a verdade hoje pode não ser bonita;
a verdade hoje pode ser ‘eu sequer sinto que Deus seja real’.
E nós não conseguimos lidar isso. A Bíblia consegue! Ele nos dá o
livro de Jó, o livro de Eclesiastes, ela nos diz que, no momento
em que os discípulos encontravam o Cristo ressurreto, alguns duvidaram.
Assim, dúvida é parte disso tanto quanto a fé, de modo que a arte
carrega em si essa linda honestidade.
Quando você é honesto em relação à feiura da vida, isso é lindo.
É estranho, é um paradoxo.
Quando você tenta deixar tudo bonito, isso acaba parecendo vulgar.
Essa é uma das grandes necessidades que temos:
Como sermos pessoas do Deus da verdade e redescobrir
confiança e honestidade em nosso relacionamento com ele.
Deus pode lidar com isso, nós às vezes não.
Mas seria muito melhor para nós se conseguíssemos.
Assim, na música, na pintura, na arquitetura, no cinema que
esteja verdadeiramente buscando a verdade
eu penso que experimentamos Deus.
Mas se tentarmos mercadejar Deus como um comercial televisivo,
isso o tornará menos real."

Brian McLaren

2 comentários:

Jackie Götzen disse...

Difícil, vc anda muito difícil!!!

o que a EBA tem feito com vc???

Tainã disse...

Interessante isso que vc disse,pq acho que é a explicação perfeita para todo esse ódio e desconforto que os não crentes sentem em relação à nós.Tentamos parecer tão perfeito, e fica tão plastico!
Vou usar essa comparaçao qnd for explicar pq eu sou tão diferente dos crentes cotidianos...Vc libera?hihihi!