Início

11/12/2008

8 dias úteis?

Quarta-feira, por volta de umas 16h30min da tarde, estava na faculdade [Campus da Praia Vermelha] fazendo hora até a Mostra de Teatro de amigos meus à noite. Tarde nublada. Tempo bom para sentar e observar.

Se aproxima um senhor de aparência humilde varrendo folhas de uma [linda] árvore estranhamente fundida ao muro dos fundos, e puxa conversa:



- Tá quente, né?

A sutil risada de minha parte foi inevitável, em tom simpático respondi:

- Sim, mas em breve chove!

Foi a deixa pra que ele se sentasse e encostasse a vassoura de lado, na verdade, acho que foi isso que minha risada pressentiu no início mesmo...

Ele se pôs a falar... Disse que já pegou chuva; que anda a pé na chuva com tempo quente ou frio; que tem passe pro ônibus, mas prefere andar a pé; que não aceitam passe do exército; que ganha muito bem, mas a tia [ou alguém cujo parentesco não me lembro] lhe dá apenas R$ 100; que ele jogava tudo no bicho; que levou um tiro de raspão quando era do exército; que foi indenizado por isso; que na época do exército era bem arrumado e bonito de farda; e muuuuitas outras coisas.

Estou narrando a “conversa” desta forma, porque era assim que as informações vinham. Como cascata! Lógico que tive reações e intervenções... A certa altura desisti, mas o importante pra ele era falar, e naquele momento, eu era ouvidos...

Até que, numa hora de lucidez, ele disse que foi a uma consulta médica no dia 27 de novembro, e que devia voltar lá em 8 dias úteis. Fez uma pausa, me olhou nos olhos e perguntou: O que são dias úteis?

Ao mesmo tempo que comovente, sua pergunta foi como um choque. Como se eu tentasse ligar o pisca-pisca na tomada após sair do banho com os pés molhados e descalços no chão! [eu sei ser aleatória! hahaha]

O que é um dia útil? O que dá utilidade a um dia? Eu poderia ter respondido tanta coisa...
Poderia ter dito: Depende... O que é importante para o senhor?

Eu poderia refletir aqui sobre o que é a inutilidade ou a utilidade, sobre graus de valor ou tanta coisa filosófica... Fiquei pensando no que responderia de acordo com meus dias... Um dia separado para cultuar juntamente com amigos que compartilham a mesma fé no mesmo Deus. Um dia no qual eu pudesse conversar e curtir bastante esta gente que é família e corpo... me parece útil.
Assim como seria útil um dia sem trânsito.
Neste dia eu dormiria umas horinhas a mais, e cumpriria compromissos pontualmente e de bom-humor. Aulas agradáveis, profundas, leves, proveitosas e que rendessem.
Alunos interessados, criativos, participativos e satisfeitos. Sentimento de dever cumprido.
Agenda em dia: Todas as tarefas cumpridas, sem pendências ou procrastinações. Este dia seria trabalhoso, mas eu respiraria aliviada.
Um dia inútil seria muito útil. Porque a inutilidade faz parte da vida... Viva o ócio!
Mais um dia inútil [Porque temos direito a dois deles na nossa semana].
...
Enfim, muitas coisas me passaram pela cabeça.

Respondi sua pergunta. Ele disse que entendeu mas continuou com a testa franzida, então eu fiz as contas junto com ele e entendemos que já tinha passado o dia... Ele se foi chateado. Eu, lógico, tinha muita coisa pra pensar ainda...

Mas na verdade, acho que o bom de um dia está no imprevisto. No que há de vida e surpresa... Um dia em que se é abordado por um humilde desconhecido que te faz perguntas profundas como esta. Um dia em que os pequenos sustos nos lembram de acordar para olhar em volta. De sair da rotina e dos caminhos pré-programados. De sair de casa pra compartilhar um Amor Maior, e ser surpreendida por um amor em potencial. Se apaixonar por um sorriso e se perguntar se isso é possível em apenas Um Dia...

A vida é isso!

7 comentários:

Rômulo disse...

Me pergunto até q ponto encontramos profundidade em perguntas q sempre parecem tão óbvias. Acho q se o msm tivesse acontecido comigo talvez eu não visse tanta profundidade nos dias úteis.

Aliás, me parecem até q esses são poucos dos meus dias na semana. Outros cinco têm me parecido muito inúteis.

Mas abrir o coração para entender que o imprevisto é o melhor de cada dia, seja ele útil ou inútil, acho que isso não é só vida. Isso é o melhor da vida! As coisas que acontecem de maneira diferente da imaginada. Tal como o carro q acaba a gasolina e vc fica desesperado no meio do nada, mas séculos depois conta essa história pros seus netos [claro q incluindo a participação de canibais e samurais trasportados por uma máquina do tempo].

É a vida são os momentos! Cabe a nós torná-los úteis, até msm qnd inúteis!

[acabei postando no seu blog ao invés de comentar q gostei do seu texto... rsrs]

O Reina disse...

Pois é, né? Coisas que só o campus da Praia Vermelha faz por você!
Sabe do que mais? Acho que esse blog voltou a vida mesmo, hein!?
To gostando disso...

O Reina disse...

Ah, sim, essa árvore é linda!

Miguel Del Castillo disse...

e você tem um blog!
achei.

tb acho que o melhor dos dias são as surpresas. Já diria o Lenine naquela música lá: a vida é parte do mistério, é tanta coisa pra desvendar...

sabe quem entendeu isso? A Lóri, personagem da Clarice Lispector em Uma Aprendizagem ou O Livro dos Prazeres. Uma hora, ela "com ternura aceitou o mistério de estar viva."

Escreva mais! E está convidada a visitar meu blog: magicodesinventor.blogspot.com

um dia muito útil pra você!

bjs,

Miguel

Gustavo Pereira disse...

ah, essas converas, sem compromisso; tão boas [algumas delas, pelo menos].
parecem não levar a lugar algum, mas nos tiram de onde estamos... isso basta.
"o que são dias úteis?"
mt bom.
a pergunta, ingenuamente sincera, e o texto - bom de ler!

patrícia disse...

nhammm... essa arvore é muito... elucidativa! sério, ela me lembra jardim secreto! não te lembra? :)

e sobre essas pessoas que fazem dessas perguntas simples-complexas, que nos fazem olhar fixo pro nada e pensar no significado das coisas corriqueiras, dos nossos usos, das possibilidades... eu gosto muito disso!

concordo com vc sobre a beleza que há no imprevisto. e concordo muito, quase de forma oblíqua. ;)

amo! :*

Marcos Vichi disse...

Olá Bianca!

O que é um dia útil? Não sei responder, mas sei que aquele dia em 02/01/09, que era considerado "útil" no calendário, e que me obrigou a sair de Friburgo para ir trabalhar, foi um dos mais inúteis de minha vida. hehehehe.

A verdadeira sabedoria está em questionar estas definições prontas e, na medida do possivel, tentar escapar desta loucura que a vida considerada "normal" tenta nos empurrar, como se fosse a melhor coisa do mundo.

beijos,

Marcos Vichi
http://compartilhandopalavras.blogspot.com/